01/08/17

Os tempos que correm

UM BOM ASSUNTO PARA MEDITAR



O marido curioso :

- « O que é que é que está escrito nesse dever que te faz chorar? »

A esposa :

- « Escuta eu leio :

> " Meu desejo é de me tornar um smartphone, Meus pais amam tanto os seus smartphones . Eles estão tanto tempo ocupados com seus smartphones que às vezes se esquecem de mim.

 Quando meu pai chega cansado do seu trabalho, ele tem tempo para o seu smartphone, mas não para mim.

 Quando os meus pais estão a fazer qualquer coisa importante e o smartphone toca, eles respondem logo ao primeiro toque. Mas não a mim... mesmo se eu estou a chorar. Eles jogam a dois nos seus smartphones, mas não comigo.

Eles nunca me escutam, mesmo quando estou a dizer-lhes alguma coisa importante.

 Então, o meu desejo é ser um smartphone" !...

>  No fim da leitura, seu marido muito emocionado pergunta à sua esposa:

- « Quem é que escreveu isso? »

A esposa :

 « Nosso filho!....»

A sociedade tem destas coisas

30/05/17

Joaquim Lalanda Roseiro Boavida
5 h ·
Em CASTELO BRANCO aconteceu ....................
A 30 de Maio de 1945, foi inaugurado o HOTEL DO TURISMO. Já não existe. Ficava no Largo do Município, ao lado do edifício da Caixa Geral de Depósitos, no local onde hoje existe um parque de estacionamento. Assinou o projecto o arquitecto Veloso dos Reis Camelo. O empreiteiro foi Manuel Coelho, de Lisboa. O custo total da obra foi de 1.841.459$68.
O edifício ficou concluído em 1940, mas esteve cinco anos sem servir. Temia-se que o prejuízo da exploração fosse demasiado elevado.
O Hotel de Turismo acabou por ser demolido no início dos anos setenta. Possuía apenas 30 quartos e as instalações eram consideradas obsoletas.

19/04/16

paul éluard / liberdade




Nos meus cadernos de escola
no banco dela e nas árvores
e na areia e na neve
escrevo o teu nome

Em todas as folhas lidas
nas folhas todas em branco
pedra sangue papel cinza
escrevo o teu nome

Nas imagens todas de ouro
 nas armas dos guerreiros
nas coroas dos monarcas
escrevo o teu nome

Nas selvas e nos desertos
nos ninhos e nas giestas
no eco da minha infância
escrevo o teu nome

Nas maravilhas das noites
pão branco das manhãs
nas estações namoradas
escrevo o teu nome

Nos meus farrapos de azul
no charco sol bolorento
no lago da lua viva
escrevo o teu nome

Nos campos e no horizonte
nas asas dos passarinhos
e no moinho das sombras
escrevo o teu nome

No bafejar das auroras
no oceano nos navios
e na montanha demente
escrevo o teu nome

Na espuma fina das nuvens
no suor do temporal
na chuva espessa apagada
escrevo o teu nome

Nas formas mais cintilantes
nos sinos todos das cores
na verdade do que é físico
escrevo o teu nome

Nos caminhos despertados
nas estradas desdobradas
nas praças que se transbordam
escrevo o teu nome

No candeeiro que se acende
no candeeiro que se apaga
nas minhas casas bem juntas
escrevo o teu nome

No fruto cortado em dois
do meu espelho e do meu quarto
na cama concha vazia
escrevo o teu nome

No meu cão guloso e terno
nas suas orelhas tesas
na sua pata desastrada
escrevo o teu nome

No trampolim desta porta
nos objectos familiares
na onda do lume bento
escrevo o teu nome

Na carne toda rendida
na fronte dos meus amigos
em cada mão que se estende
escrevo o teu nome

Na vidraça das surpresas
nos lábios todos atentos
muito acima do silêncio
escrevo o teu nome

Nos refúgios destruídos
nos meus faróis arruinados
nas paredes do meu tédio
escrevo o teu nome

Na ausência sem desejos
na desnuda solidão
nos degraus mesmos da morte
escrevo o teu nome

Na saúde rediviva
aos riscos desaparecidos
no esperar sem saudade
escrevo o teu nome

Por poder de uma palavra
recomeço a minha vida
nasci para conhecer-te
nomear-te

Liberdade.
paul éluard
trad jorge de sena

30/01/16

Eleições Prersidenciais

Totais Globais 2016

Candidatos % Vot.
Marcelo Rebelo de Sousa
 
52.00% de Votos
52,00% 2.411.262
Sampaio da Nóvoa
 
22.89% de Votos
22,89% 1.061.179
Marisa Matias
 
10.13% de Votos
10,13% 469.493
Maria de Belém
 
4.24% de Votos
4,24% 196.693
Edgar Silva
 
3.95% de Votos
3,95% 182.975
Vitorino Silva
 
3.28% de Votos
3,28% 152.078
Paulo de Morais
 
2.16% de Votos
2,16% 99.964
Henrique Neto
 
0.84% de Votos
0,84% 38.951
Jorge Sequeira
 
0.30% de Votos
0,30% 13.768
Cândido Ferreira
 
0.23% de Votos
0,23% 10.576

Abstenção

51.27%
Nulos: 43.774 (0.92%) Brancos: 58.704 (1.24%) Não Votaram: 4.985.904

20/10/15

Por Joaquim Letria


AI SE                                                            PASSOS COELHO                                                            FOSSE HONESTO                                                            ! Por Joaquim                                                            Letria Se                                                            Passos Coelho                                                            começasse por                                                            congelar as                                                            contas dos                                                            bandidos do                                                            seu partido                                                            que afundaram                                                            o país, era                                                            ......hoje um                                                            primeiro                                                            ministro que                                                            veio para                                                            ficar. Se                                                            Passos Coelho                                                            congelasse as                                                            contas dos                                                            off-shore de                                                            Sócrates que                                                            apenas se                                                            conhecem 380                                                            milhões de                                                            euros (falta o                                                            resto) era                                                            hoje                                                            considerado um                                                            homem de bem.                                                            Se Passos                                                            Coelho tivesse                                                            despedido no                                                            primeiro dia                                                            da descoberta                                                            das falsas                                                            habilitações o                                                            seu amigo                                                            Relvas, era                                                            hoje um homem                                                            respeitado. Se                                                            Passos Coelho                                                            começasse por                                                            tributar os                                                            grandes                                                            rendimentos                                                            dos tubarões,                                                            em vez de                                                            começar pela                                                            classe média                                                            baixa, hoje                                                            toda a gente                                                            lhe fazia um                                                            vénia ao                                                            passar. Se                                                            Passos Coelho                                                            cumprisse o
AI SE PASSOS COELHO FOSSE HONESTO!
Por Joaquim
Letria
Se Passos Coelho começasse por congelar as contas dos bandidos do seu partido que afundaram o país era... hoje um primeiro ministro que veio para ficar.
Se Passos Coelho tivesse despedido no primeiro dia da descoberta das falsas habilitações o seu amigo Relvas, era hoje um homem respeitado.

Se Passos Coelho começasse por tributar os grandes rendimentos dos tubarões, em vez de começar pela classe média baixa, hoje toda a gente lhe fazia uma vénia ao passar.

Se Passos Coelho cumprisse o que prometeu, ou pelo menos tivesse explicado aos portugueses porque não o fez, era hoje um Homem com H grande.

Se Passos Coelho tirasse os subsídios aos políticos quando os roubou aos reformados, era hoje um homem de bem.

Se Passos Coelho tivesse avançado com o processo de
Camarate era hoje um verdadeiro Patriota.
Se Passos coelho reduzisse para valores decimais as fundações e os
observatórios, era hoje um homem de palavra.
Se Passos Coelho avançasse com uma Lei anti- corrupção de verdade, doa a quem doer, com os tribunais a trabalharem nela dia e noite, era já hoje venerado como um Santo...etc. etc. etc.

MAS NÃO !!!!

PASSOS COELHO É HOJE VISTO COMO UM MENTIROSO, UM ALDRABÃO, UM
YES MAN AO SERVIÇO DAS GRANDES EMPRESAS, DA SRA. MERKEL, DE DURÃO BARROSO, DE CAVACO SILVA, MANIPULADO A TORTO E A DIREITO PELO MAIOR VIGARISTA DA HISTÓRIA DAS FALSAS HABILITAÇÕES MIGUEL RELVAS, E UM ROBOT DO ROBOT SEM ALMA E CORAÇÃO, VITOR GASPAR.



 318259044C014A2D97AF3277C70AD2E9@JulietaPC
Proibido dizer mal de Portugal...
"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a  desonra,de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se  os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a  rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto." (Rui Barbosa).

07/10/15

eleições 2015



Portugal Continental e Regiões Autónomas
Território Nacional
3.092 freguesias apuradas.
Ver resultados de    2011
Mapa
Localidades
Votantes
57,00%
226   Mandato(s) atribuído(s)
Mandatos atribuídos:   226
0 Mandato(s) por atribuir
Mandatos não atribuídos: 0
5.380.246 votantes
9.439.711 inscritos
PPD/PSD.CDS-PP Portugal à Frente
36,83%    1.981.408 votos  Mandatos     99

PS
Partido Socialista 32,38 %    1.742.002 votos
Mandatos85

B.E.
Bloco de Esquerda 10,22%     549.838 votos
Mandatos19

PCP-PEV
CDU - Coligação Democrática Unitária 8,27%   444.905 votos
Mandatos17

PPD/PSD
Partido Social Democrata  1,51%    81.054 votos
Mandatos5

PAN
Pessoas-Animais-Natureza  1,39%  74.747 votos  Mandatos1

PDR
Partido Democrático Republican1,13%   60.982 votos

PCTP/MRPP
Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses  1,11%    59.835 votos

L/TDA
LIVRE/Tempo de Avançar 0,72%   39.003 votos

PNR
Partido Nacional Renovador 0,50%  27.136 votos

MPT
Partido da Terra 0,42%  22.412 votos

PTP-MAS
Agir 0,38%  20.713 votos

NC
Nós, Cidadãos! 0,35  18.723 votos

PPM
Partido Popular Monárquico 0,28   14.805 votos

JPP
Juntos pelo Povo  0,26%  14.203 votos

PURP
Partido Unido dos Reformados e Pensionistas  0,26% 13.757 votos

CDS-PP
CDS - Partido Popular 0,14% 7.536 votos

CDS-PP.PPM
Aliança Açores 0,07 -3.654 votos

PPV/CDC
Partido Cidadania e Democracia Cristã  0,05 2.660 votos

PTP
Partido Trabalhista Português 0,03% 1.748 votos

18/12/14

Portugal visto porAntónio Lobo Antunes

Portugal visto por
António Lobo Antunes



Agora sol na rua a fim de me melhorar a disposição, me reconciliar com a vida.

Passa uma senhora de saco de compras: não estamos assim tão mal, ainda compramos coisas, que injusto tanta queixa, tanto lamento.

Isto é internacional, meu caro, internacional e nós, estúpidos, culpamos logo os governos.

Quem nos dá este solzinho, quem é? E de graça. Eles a trabalharem para nós, a trabalharem, a trabalharem e a gente, mal agradecidos, protestamos.

Deixam de ser ministros e a sua vida um horror, suportado em estoico silêncio. Veja-se, por exemplo, o senhor Mexia, o senhor Dias Loureiro, o senhor Jorge Coelho, coitados. Não há um único que não esteja na franja da miséria. Um único. Mais aqueles rapazes generosos, que, não sendo ministros, deram o litro pelo País e só por orgulho não estendem a mão à caridade.

O senhor Rui Pedro Soares, os senhores Penedos pai e filho, que isto da bondade as vezes é hereditário, dúzias deles.

Tenham o sentido da realidade, portugueses, sejam gratos, sejam honestos, reconheçam o que eles sofreram, o que sofrem. Uns sacrificados, uns Cristos, que pecado feio, a ingratidão.

O senhor Vale e Azevedo, outro santo, bem o exprimiu em Londres. O senhor Carlos Cruz, outro santo, bem o explicou em livros. E nós, por pura maldade, teimamos em não entender. Claro que há povos ainda piores do que o nosso: os islandeses, por exemplo, que se atrevem a meter os beneméritos em tribunal.
Pelo menos nesse ponto, vá lá, sobra-nos um resto de humanidade, de respeito.

Um pozinho de consideração por almas eleitas, que Deus acolherá decerto, com especial ternura, na amplidão imensa do Seu seio. Já o estou a ver:
- Senta-te aqui ao meu lado ó Loureiro
- Senta-te aqui ao meu lado ó Duarte Lima
- Senta-te aqui ao meu lado ó Azevedo
que é o mínimo que se pode fazer por esses Padres Américos, pela nossa interminável lista de bem-aventurados, banqueiros, coitadinhos, gestores, que o céu lhes dê saúde e boa sorte e demais penitentes de coração puro, espíritos de eleição, seguidores escrupulosos do Evangelho. E com a bandeirinha nacional na lapela, os patriotas, e com a arraia miúda no coração. E melhoram-nos obrigando-nos a sacrifícios purificadores, aproximando-nos dos banquetes de bem-aventuranças da Eternidade.

As empresas fecham, os desempregados aumentam, os impostos crescem, penhoram casas, automóveis, o ar que respiramos e a maltosa incapaz de enxergar a capacidade purificadora destas medidas. Reformas ridículas, ordenados mínimos irrisórios, subsídios de cacaracá? Talvez. Mas passaremos semdificuldade o buraco da agulha enquanto os Loureiros todos abdicam, por amor ao próximo, de uma Eternidade feliz. A transcendência deste acto dá-me vontade de ajoelhar à sua frente. Dá-me vontade? Ajoelho à sua frente  indigno de lhes desapertar as correias dos sapatos.
Vale e Azevedo para os Jerónimos, já!
Loureiro para o Panteão já!
Jorge Coelho para o Mosteiro de Alcobaça, já!
Sócrates para a Torre de Belém, já! A Torre de Belém não, que é tão feia. Para a Batalha.

Fora com o Soldado Desconhecido, o Gama, o Herculano, as criaturas de pacotilha com que os livros de História nos enganaram. Que o Dia de Camões passe a chamar-se Dia de Armando Vara. Haja sentido das proporções, haja espírito de medida, haja respeito.
Estátuas equestres para todos, veneração nacional. Esta mania tacanha de perseguir o senhor Oliveira e Costa: libertem-no. Esta pouca vergonha contra os poucos que estão presos, os quase nenhuns que estão presos como provou o senhor Vale e Azevedo, como provou o senhor Carlos Cruz, hedionda perseguição pessoal com fins inconfessáveis.

Admitam-no. E voltem a pôr o senhor Dias Loureiro no Conselho de Estado, de onde o obrigaram, por maldade e inveja, a sair.

Quero o senhor Mexia no Terreiro do Paço, no lugar de  D. José que, aliás, era um pateta. Quero outro mártir qualquer, tanto faz, no lugar do Marquês de Pombal, esse tirano. Acabem com a pouca vergonha dos Sindicatos. Acabem com as manifestações, as greves, os protestos, por favor deixem de pecar.

Como pedia o doutor João das Regras, olhai, olhai bem, mas vêde. E tereis mais fominha e, em consequência, mais Paraíso. Agradeçam este solzinho.

Agradeçam a Linha Branca.

Agradeçam a sopa e a peçazita de fruta do jantar.

Abaixo o Bem-Estar.
Vocês falam em crise mas as actrizes das telenovelas continuam a aumentar o peito: onde é que está a crise, então? Não gostam de olhar aquelas generosas abundâncias que uns violadores de sepulturas, com a alcunha de cirurgiões plásticos, vos oferecem ao olhinho guloso? Não comem carne mas podem comer lábios da grossura de bifes do lombo e transformar as caras das mulheres em tenebrosas máscaras de Carnaval.
Para isso já há dinheiro, não é? E vocês a queixarem-se sem vergonha, e vocês cartazes, cortejos, berros. Proíbam-se os lamentos injustos.

Não se vendem livros? Mentira. O senhor Rodrigo dos Santos vende e, enquanto vender o nível da nossa cultura ultrapassa, sem dificuldade, a Academia Francesa.
Que queremos? Temos peitos, lábios, literatura e os ministros e os ex-ministros a tomarem conta disto.
Sinceramente, sejamos justos, a que mais se pode aspirar?

O resto são coisas insignificantes: desemprego, preços a dispararem, não haver com que pagar ao médico e à farmácia, ninharias. Como é que ainda sobram criaturas com a desfaçatez de protestarem? Da mesma forma que os processos importantes em tribunal a indignação há-de, fatalmente, de prescrever. E, magrinhos, magrinhos mas com peitos de litro e beijando-nos uns aos outros com os bifes das bocas seremos, como é nossa obrigação, felizes.
António Lobo Antunes
 
 
 
 
 
 

Os tempos que correm